11 agosto, 2020
Banner Top

Conheça a fabricante de automóveis norte americana que acabou precocemente nos anos 1940

Graham Paige era uma marca norte americana, fabricante de automóveis.  Fundada em 1927 pelos irmãos Joseph B. Graham,  Robert C. Graham e Ray A. Graham. Conheça um pouco da história da Graham Paige, uma marca praticamente esquecida.

Início: Graham Brothers

Os irmãos Graham, nasceram em Washinton, Indiana, na fazenda da família. Começaram seu sucesso no início do século passado, em uma empresa de fabricação de vidros, vendida posteriormente para seguirem o ramo automotivo.

Ray, que se formou em 1908, se interessou em projetar caminhões leves enquanto gerenciava as propriedades agrícolas da família. Inventou um eixo traseiro, que os carros da Ford podiam ser convertidos em caminhões expressos.

Em 1919, os 3 irmãos se juntaram e iniciaram um novo negócio. Fabricavam kits para transformar os modelos da Ford, Ts e TTs em caminhão. Com o sucesso, abriram a própria empresa para fabricar caminhões, a Graham Brothers Trucks.

Instalados na cidade Evansville, Indiana, começaram a construir caminhões com peças de diferentes marcas, Continental, Weideley, Dodge e inclusive a Graham Brothers. Usavam motores Dodge, e seus veículos passaram a ser vendidos pelos próprios revendedores Dodge. 

Graham Paige
Propaganda Grahan Brothers Truck

Seus caminhões chamaram a atenção de grandes empresas. Em 1925 a Dodge comprou a Graham Brothers Trucks. Os irmãos assumiram então cargos executivos na empresa. Os Graham agora faziam parte de uma organização muito maior e mais bem organizada.

Nos anos seguintes a empresa se expandiu. Novas fábricas foram abertas, em Detroit 1922 e em 1925 na Califórnia. Atingiram também o mercado canadense, através da Canadian Dodge.

GP Dodge 1929

A marca de caminhão dos Graham durou até 1929 quando a Chrysler Corporation assumiu o controle da Dodge. 

História da Graham Paige

Dois anos após terem seus cargos dentro da Dodge, os executivos e o sindicato da mesma, brigavam para vender a empresa. Por esse motivo, os irmãos decidiram sair da empresa e fabricar automóveis por conta própria. 

Em 1927, organizaram a Graham Brothers Corporation. Compraram a Paige Detroit Motor Company, que fabricava automóveis Paige e Jewett. Surgiu então a Graham-Paige Motors Corporation, hoje quase esquecida. Começa entao a história da Graham Paige. 

Logotipo
Logo utilizado nos carros, com os 3 irmãos Graham

Cada um dos irmãos assumiu um cargo dentro da empresa. Eles continuaram a fabricação de caminhões, até que a Dodge apresentou o contrato, onde assinaram sobre a não competição.

Durante um certo período, a linha existente de carros Paige continuou a ser produzida, com motores 6 e 8 cilindros. Algumas melhorias foram feitas, mas os irmãos Graham estavam ocupados criando uma nova série de carros com seu nome.

Eles se mudaram rapidamente e apenas seis meses depois de terem chegado à Paige, a nova linha de automóveis  estava pronta para ser apresentada. 

Em Janeiro de 1928, no Salão do Automóvel de Nova York, os irmãos apresentaram sua nova linha de carros Graham-Paige. O menor é o 610,  motor de 52 cv. O próximo, o 614, de 71 cv. Os outros dois modelos – 619 e 629 compartilharam o motor  de 97 bhp. No 835, usaram um chassi de 135 polegadas e 120 bhp. 

Uma empresa em ascensão

Os automóveis ganharam fama e mercado por sua alta qualidade de produção. Suas vendas dispararam, impulsionada ainda mais com o sucesso dos Graham Paige nas corridas. 

carro de corrida
DMK Marendez dirigindo um Graham-Paige de seis cilindros em companhia próxima com Laystall Special durante uma corrida de handicap de 160 km em Brooklands em 1929.

Como resultado, a Graham-Paige estabeleceu um recorde de vendas para uma nova marca de automóvel em seu primeiro ano, 1928. A empresa fabricava grande parte dos motores e o corpo de seus carros, projetados pela equipe de engenharia. 

A linha de 1929 na verdade, consistia em duas séries de modelos. 
Os primeiros carros desse ano eram um pouco diferentes dos de 1928.

Em outubro de 1929, toda a produção de 1928 havia sido superada, mais de 77.000 carros foram produzidos. Mas ainda assim houve uma perda de US $ 1,5 milhão no ano. As operações na fábrica foram lucrativas, mas ocorreram perdas nas lojas próprias da empresa. As concessionárias estavam no  sobrecarregadas com impostos imobiliários caros. 

Graham
Graham Paige 1929

Os primeiros carros da série 1930 foram os últimos a receber o nome Graham-Paige. Os carros da segunda série desse ano tinham apenas o nome “Graham”. O nome “Paige” era reservado para uma nova linha de veículos comerciais. 

A crise de 1929

A produção em 1930 caiu drasticamente, para 33.560 no ano, menos da metade da alta de 1929, e a empresa perdeu cinco milhões de dólares.

Como para muitas montadoras, 1929 seria seu melhor ano. Mas o mercado de ações entrou em colapso em outubro, pressagiando a maior crise econômica nos Estados Unidos desde 1873.

Como todos os outros, os Graham tentaram primeiro responder à depressão diminuindo o preço dos carros. Sem grande impacto e a produção continuava a diminuir, pouco mais de 20 mil unidades em 1931.

Inicialmente, Graham-Paige resistiu bem ao começo da  depressão, mas as vendas caíam cada vez mais. Com a garra e vontade dos irmãos, eles enfrentaram a crise.

Fizeram isso com um carro destinado a se tornar o mais famoso de todos da marca. Qualquer laço persistente com o passado da Paige foram apagados. E o novo carro estabeleceu para Graham uma reputação de liderança em engenharia e estilo. 

Esses modelos de 1932 foram projetados por Amos Northup. O projeto em particular foi apontado como o “projeto mais influente da história automotiva”.  Eles o chamavam de “Blue Streak Eight”.

blue streak eigh
Graham Paige “blue streak eight” 1932

 O design introduziu uma série de idéias inovadoras. Como os para-lamas fechados, e a tampa do radiador foi movida sob o capô. 

De uma posição de liderança de estilo em 1932, Graham havia caído na mediocridade. 

Sobrevivendo à crise

O Graham de 1936 não pôde deixar de melhorar o estilo, mas parecia um pouco diferente da maioria dos carros do dia a dia, parecia ser mais alto e mais estreito. Era portanto, uma versão renovada do Standard Six, chamada Crusader.

Graham Paige
Graham Paige

Para reduzir a sobrecarga, a fábrica de carrocerias em Wayne fechou no final de 1936. A fábrica de Evansville assim como a  serraria da Flórida foram vendidas. A produção foi concentrada na principal fábrica, a de Dearborn.

A Graham adicionou um novo estilo de front end e revisou os detalhes das carrocerias para criar os veículos de 1936 e 1937. 

Graham Paige
Graham Supercharged Coupe 1936

1938 foi o ano em que a economia se recuperou. Ainda assim, com um novo estilo, o Graham desse ano deveria ter vendido bem, mas ironicamente o estilo “sharknosed” foi um fracasso completo. 

Graham 1938
Graham 1938 “Sharknosed”

Com exceção de 1933, a Graham-Paige estava perdendo dinheiro desde o segundo ano de produção de automóveis. O fluxo contínuo de prejuízos já havia esgotado suas reservas de caixa, a empresa estava quase sem dinheiro.

Durante a primavera, os funcionários da empresa lutaram loucamente para juntar dinheiro suficiente para continuar, a produção foi suspensa por um tempo em fevereiro. Os preços foram reduzidos na tentativa de estimular os negócios, o que era praticamente inexistente.

E os negócios só pioraram. Alguns funcionários se reuniram com fornecedores e credores para discutirem o financiamento necessário para levar a empresa até 1939. O próprio Joe Graham forneceu 560 mil dólares de sua fortuna pessoal para manter a empresa funcionando.

Apesar da má recepção devido ao design de sharknose, a Graham teve pouca escolha a não ser continuar batalhando.

O carro de 1939 era praticamente o mesmo ao do ano anterior, exceto pelos  estribos, que eram opcionais e a complicada troca de marchas a vácuo foi substituída por uma alavanca opcional montada em coluna.

1936-Graham Paige
Graham 1938 “Sharknosed”
Graham paige marca esquecida
Graham “Sharknosed” 1940

As estimativas sugeriam que a produção total dos três anos desses carros foi entre 6000 e 13.000 unidades. Com essa baixa produção, Graham mancou até 1939 e 1940. Assim a Graham Paige é uma marca quase esquecida. 

Join Venture com a Hupmobile

Em reuniões entre os funcionários da Hupp e Graham em 1939, foram acordados os detalhes do plano conjunto de fabricação. A Hupp já não  conseguia produzir seus carros por si só, e a Graham precisava muito de um carro novo para complementar o modelo anterior que vendia pouco.

Em acordo com a Hupp, a Graham concordou em construir o Skylark com base em contrato, ao mesmo tempo em que recebia o direito de usar matrizes Cord para produzir um carro semelhante, chamado Hollywood.

hupp
Skylark da Hupp

O Hollywood foi claramente um desespero da empresa para superar a crise. A frente com estilo “sharknose” foi claramente um erro de design nos carros da marca, e precisava ser consertado no novo modelo.

graham paige
Hollywood-Skylark da Graham

De fato, todo o projeto Skylark-Hollywood foi praticamente um fracasso. As dificuldades de fabricação causaram meses de atraso antes do início das entregas. Clientes cansados ​​de esperar, e a maioria dos pedidos foi cancelada. O número total de carros fabricados foi menor do que o projetado. Não havia dinheiro suficiente para financiar adequadamente a produção

Com apenas 319 unidades produzidas do Hollywood-Sakylark, a Hupp decide abandonar o acordo e fechar as portas. O Hollywood foi produzido até setembro de 1941, quando a fábrica foi temporariamente fechada. Ela nunca mais foi reaberta para construção de automóveis.

Em novembro de 1941 a Graham-Paige havia suspendido a produção de automóveis por causa da emergência nacional de defesa. Onde autoridades viram a chance de obter o primeiro lucro em muitos anos.

Graham Paige no Pós II Guerra

Em agosto de 1945, a Graham-Paige anunciou planos para retomar a produção sob o nome Graham, mas o plano nunca se concretizou. 

A empresa retomou a produção de automóveis em 1946. Em parceria com Henry J. Kaiser a empresa começou a produção de um carro novo de aparência moderna, o Frazer de 1947. Recebeu esse nome em homenagem ao novo presidente da Graham, Joseph Frazer.

graham paige
Kaiser Frazer 1947

Em 5 de fevereiro de 1947, os acionistas da Graham-Paige aprovaram a transferência de todos os seus ativos automotivos para a Kaiser-Frazer, uma empresa automobilística formada por Frazer e Kaiser,

As instalações de fabricação de Graham na Warren Avenue foram vendidas para a Chrysler. Foram usadas primeiro para a produção de carrocerias e motores DeSoto e, finalmente, para a montagem do Imperial nos anos de 1959, 1960 e 1961. 

O fim da história da Graham Paige 

Em 1952, a empresa retirou os “Motores” de seu nome e ramificou-se no setor imobiliário. E hoje, a Graham Paige é uma marca esquecida por muitos. 

A história da Graham Paige e dos irmãos Graham é cheia de altos e baixos. De uma marca renomada internacionalmente a uma marca com carros feios (“sharknosed”) e com má fama por não entregar seus produtos. 

Hoje encontramos poucos exemplares da marca em boas condições. Existe um grande grupo da marca nos EUA, onde compartilham histórias e veículos a venda. 

Mas fora dos Estados Unidos, a Graham Paige é uma marca esquecida quase que por completo.

Conheça o Graham Paige mais famoso e que já viajou o mundo inteiro, junto com sua família. 

Saiba mais sobre a história da Graham Paige, uma marca esquecida, e mais alguns detalhes.

Tags: , , , ,
Me chamo Luís Felipe Risso. Sou formado em administração pela PUC-SP e pós graduado na FGV. Apaixonado por carros antigos, tenho o sonho realizado de trabalhar no meio do antigomobilismo.

Related Article

No Related Article