30 Maio, 2020
Banner Top

Fabricante de automóveis norte americana com modelos revolucionários mas pouco conhecidos

A história da Cord começa muito antes de ser uma empresa, quando Erett Lobban Cord nasceu, em 1894.

Os carros da Cord estão entre os carros americanos mais influentes já construídos. Embora não sejam encontrados facilmente nas ruas ou para venda, oferecem uma alternativa única aos clássicos mais tradicionais construídos pelos Três Grandes fabricantes independentes dos Estados Unidos.

O Cord possivelmente é o carro mais legal de que você pode nunca ter ouvido falar. E tudo começou há mais 80 anos, na cidade de Auburn, Indiana nos Estados Unidos.

História Errett Lobban Cord

Errett Lobban Cord, nascido em 20 de julho de 1894, foi um grande executivo norte americano de sua época. El Cord, como era conhecido, fundou a Cord Corporation como uma holding de mais de 150 empresas que ele controlava, principalmente no campo dos transportes.

história da Cord

Nascido em Warrensburg, Missouri , Cord começou sua carreira como motorista de carro de corrida, mecânico e vendedor de carros, que era seu diferencial. Se destacou nesse mercado até que recebeu em 1924 uma proposta da Auburn Automobile Company para administrá-la.

A Cord Corporation foi fundada em 1929 e administrada por Errett Cord, como uma holding. Essa holding unia também as empresas Auburn automobile Company e a  Duesenberg Motors Company.

história da Cord

Auburn Automobile Company

A Auburn Automobile Company foi criada em 1900 na cidade de Auburn, Indiana EUA, a partir da Eckhart Carriage Company. Foi constituída em 1903 por Chales Eckhart.

No mesmo ano, a empresa então fabricou seu primeiro veículo que seria vendido ao público. O veículo tinha um motor a gasolina de cilindro interno, refrigerado a água, produzindo cerca de 6 cavalos de potência. 

história da Cord

Os filhos de Eckhart começaram suas carreiras fabricando automóveis de forma artesanal e experimental. Adquirindo experiência suficiente, em 1909 absorveram duas outras empresas e mudaram para uma fábrica de maior porte. Com complicações da primeira guerra, a fábrica precisou ser fechada.

Em 1915 Charles Eckhart morreu. Seus filhos Frank e Morris assumiram a propriedade e a administração da Eckhart Carriage Company.

Devido aos problemas, em 1919 a empresa foi vendida pro investidores de Chicago. Os novos proprietários da marca conseguiram levantar a empresa, melhorar sua estrutura e vendas, mas os lucros não apareceram.

O novo grupo de proprietários supervisiona a fabricação de um novo modelo chamado Beauty-Six, que foi projetado pela família Eckhart antes da venda da empresa.

História da Cord

A empresa passou por fortes recessões em 1921 e 1922, não sendo capaz de se recuperar totalmente. Dessa forma os investidores procuravam por um nome para reestruturar novamente a Auburn Automobile Company.

Em 1924 o vendedor de automóveis de grande sucesso, Errett Lobban Cord foi contratado para a missão, como vice-presidente e gerente geral da Auburn Automobile.

História da Cord

A princípio foi feita a oferta para Errett Cord administrar a empresa. Como um grande empresário e visionário que era, Cord fez a oferta de assumir por completa a organização em questão. Os empresários de Chicago aceitaram a proposta, portanto Cord era o mais novo dono da Auburn Automobile Company.

O início do sucesso

 Agora comandando uma grande empresa fabricante de automóveis, e com a difícil missão de reerguer a marca, Cord pôs imediatamente seus planos em prática.

história da Cord

A Auburn Automobile vinha tendo péssimos resultados, e um estoque de 700 carros em seus galpões. Carros que não foram vendidos e estavam esperando e acumulando podeira.

A estratégia de Erett Cord foi simples, porém trouxe grandes resultados, e os 700 veículos foram rapidamente vendidos. Cord foi o pioneiro em pintar e combinar cores nos automóveis. Diferente dos carros da época, o empresários pintou com carros do estoque com cores chamativas e combinando tons.

história da Cord

O novo estilo de pintura fez grande sucesso, e em poucos meses todo o estoque foi vendido. E Cord em 1925 oficializou a compra da Auburn Automobile Company.

Com a empresa de volta aos eixos e lucrando, Cord queria criar o melhor automóvel dos Estados Unidos.

Para alcançar esse sonho, em 1926 Erett Cord mira a compra de uma luxuosa fabricante de automóveis de Indianápolis, fundada em 1913.

A compra da Duesenberg

A Duesenberg Automobile and Motors Company foi fundada em 1913 no estado de Minnesota, foi uma fabricante norte americana de automóveis de corrida e de luxo.

história da Cord

Em Minnesota os fundadores e irmãos, August e Frederick Duesenberg, eram engenheiros começaram construindo motores e carros de corrida, além de muitos carros experimentais. Em 1916 mudaram para Nova Jersey, onde em contrato com o governo, fabricariam motores para a Primeira Guerra Mundial.

história da Cord
Dusenberg 1915

Três anos mais tarde, em 1919, já sem contrato com o governo, a empresa migra para a cidade de Indianápolis no estado de Indiana, estabelecendo a Duesenberg Automobile and Motors Company, Inc.

Os carros da Duesenberg foram considerados alguns dos melhores carros da época. Eram construídos artesanalmente, inteiramente à mão. Eram exemplo de luxo, elegância e performance.

Modelo J

história da Cord
Duesenberg model j 1928
história da Cord
Duesenberg model j 1930

No final de 1926, Erett Cord adicionou Duesenberg à sua empresa, Auburn Automobile Company, renomeando-a para Duesenberg, Inc. A compra da empresa fez com que Cord pensasse em seu próximo sonho, ter um carro com o seu nome.

História da Cord Corporation

No fim dos anos 1920, EL Cord encomendou um carro para que tivesse seu nome, o Cord L29, dando início a história da Cord.

história da Cord

Esse primeiro automóvel Cord a ser produzido pela Auburn Automobile Company. O Cord L-29, foi o primeiro veículo de tração dianteira com produção em massa de sucesso na América.

história da Cord

Ao mesmo tempo Erett Cord fundava a Cord Coporation, em 1929. A empresa que funcionava como uma holding, com mais de 150 empresas e com sede em Chicago, da qual a Auburn Automobile Company e a Duesenberg, Inc. se tornaram subsidiárias.

Além disso, fundou também a marca de automóveis Cord, que fabricaria seus veículos de forma independente das demais fabricantes de automóveis do grupo, e finalmente teria um carro com seu nome.

história da Cord

Cord L 29

No início da história da Cord, o L-29 foi projetado por Cornelius Van Ranst segundo princípios patenteados pelo famoso designer de carros de corrida Harry Miller.

Foi o primeiro carro de linha de produção a ser produzido com tração dianteira nos Estados unidos, algo inovador e incomum para a época. Para que isso fosse possível o motor foi arrancado dos maiores Auburns e virado de trás para a frente para ser colocado no Cord. Com a embreagem, a caixa de engrenagens de três velocidades e o diferencial à frente.

história da Cord

O motor Lycoming de oito cilindros em linha do L-29 produzia apenas 125 cavalos de potência. O L29 estava disponível em um sedan de quatro portas, brougham e conversível, além de um cabriolet.

O L-29 foi apresentado com instrumentação completa. Medidor de temperatura, de pressão e nível de óleo. Velocímetro à esquerda com medidor de gás,  amperímetro à direita do volante.

Um grande problema enfrentado pelo modelo era seu preço. Por US $ 3.095 ou US $ 3.295, dependendo do modelo, o L-29 custava mais que seus concorrentes, que eram mais rápidos e refinados. Os compradores conservadores desse mercado desconfiavam de novas idéias, como a tração dianteira.

Mesmo um corte de preço de US$ 800 não gerou interesse, e o carro desapareceu no início de 1932. Apenas 4.429 foram construídos desde meados de 1929.

Devido ao insucesso do L29, Erett Cord decidiu não produzi-lo mais, e focar nas corridas. Tinha o objetivo de mostrar que seus carros eram rápidos e bem construídos.

Em 1931 a Auburn Automobile Company teve seu melhor ano de vendas, vendendo 34.000 carros. Nessa época, a fabricante tinha mais de 100 revendedores e distribuidores internacionais em 93 países diferentes ao redor do mundo.

história da Cord
Cord L 29 1931

No ano seguinte a Auburn Company estreou uma linha de automóveis com motores 12 cilindros.

Cord 810

Com certeza o carro de maior sucesso produzido por Erett Cord. O modelo 810 foi apresentado no salão de Nova York em 1935. Essa era a segunda tentativa de EL Cord de associar seu nome a um automóvel memorável, como sempre sonhou, e dar continuidade à empresa e à história da Cord.

história da Cord

Gordon Buehrig era o projetista-chefe da Duesenberg desde 1929, mas com o declínio nas vendas, em 1933 se transferiu para a General Motors. Em uma competição interna, entre designers, ele criou um sedan aerodinâmico, com desenhos inovadores e faróis ocultos. O design foi rejeitado, ficando nas últimas posições da competição.

Logo após o ocorrido, o presidente da Duesenberg, Harold Ames, recontratou Buehrig para a empresa. Seu objetivo era desenvolver um automóvel, que fosse intermediário entre a Auburn e o Deusenberg J.

Erett Cord deu liberdade criativa total, e Buehrig trouxe seu modelo com curvas totalmente diferentes, com dianteira sem grade e dois radiadores externos entre o cofre do motor e os para-lamas.

Longo e baixo, o Cord 810 possuía tração nas rodas dianteiras, além de um radiador convencional, mas mantinha os faróis ocultos de Buehrig. O uso do radiador convencional deu origem às sete barras cromadas dianteiras que se prolongam pelas laterais do cofre do motor.

história da Cord

Sob o capô inteiriço e com abertura frontal, havia um motor Lycoming V8 de 4,7 litros que geravam 125 cavalos. Um v8 nos anos 1930 eram bem incomuns e caros. Possuía uma caixa de quatro velocidades, acionada por um câmbio manual Bendix Electric.

As cabeças do cilindro e do coletor de alumínios eram feitas em alumínio. e foi o primeiro carro produzido com faróis ocultos.

O interior do 810 era igualmente tão ousado quanto o exterior. Seu painel de instrumentos foi inspirado em aeronaves. Seus faróis ocultos eram acionados por manivelas manuais, uma para cadas farol em cada extremidade do painel de instrumentos, com o seletor de marchas elétrico Bendix localizado na coluna de direção.

O Cord 810 foi oferecido nas carrocerias sedan quatro portas e de quatro lugares e conversíveis coupé de dois e o conversível Phaeton Sedan com 5 lugares.

O extremamente raro o cupê fechado de duas portas teve apenas três unidades produzidas.

Nesse mesmo ano, 1936 toda a produção de Auburn e Duesenberg foi encerrada.

Atualização do Cord 810

Em 1937 a empresa apresentou o Cord 812. Poucas mudanças foram feitas, suas linhas e design continuaram as mesmas, assim como seu motor, mas agora um supercharger que aumentou a potência substancialmente para um 170 cavalos de potência a 3.500 rpm.

Essa atualização no motor levaram o carro de 0 a 100 km/h em 13,2 segundos e velocidade máxima de 178 km/h.

Na empresa não possuía o capital necessário para desenvolver e produzir o 810 adequadamente e levá-los ao mercado. O objetivo de EL Cord era produzir 1000 carros por mês, mas nunca se concretizou.

Para conseguir fundos para a produção, o designer do carro, Gordon Buehrig tirou fotos do carro e mandou para as autoridades. Seu desenho revolucionário na época, fez sucesso e foi aprovado, conseguindo o dinheiro para iniciar a produção.

As propagandas do carro eram simples. Elas mostravam apenas foto do carro e seu nome, sem maiores detalhes ou características. Erett Cord acreditava que o carro se venderia sozinho com seu design.

história da Cord

O Cord 810 e o 812 são com certeza os carros mais renomados e conhecidos da marca.

A produção desses modelos foi apenas nos anos de 1936 e 1937. Em 1936, Cord construiu 1.764 carros e, em 1937, apenas 1.066 carros foram construídos. Era o começo do fim da história da Cord.

Fim da história da Cord e do império de EL Cord

Errett Loban Cord teve um grande império de empresas principalmente na área de transporte e automóveis entre os anos de 1926 a 1937.

Cord é lembrado hoje por três grandes nomes da era clássica: o Auburn Speedster, Modelo J Duesenberg e o primeiro carro com seu próprio nome, o Cord de tração dianteira.

história da Cord

O colapso das empresas de Errett também deu fim à Duesenberg e à Auburn em 1937 (o mercado de carros de luxo e caros estava severamente minado). Além disso A Depressão da economia, juntamente com as manipulações das ações de Cord, significou o fim das empresas e toda a produção cessou em 1937.

O império construído por Erett Loban Cord chegava ao fim. Em meio a alegações de fraude financeira, seu império foi vendido à Aviation Corporation , e EL Cord aposentou-se e mudou para Nevada, onde ganhou milhões de dólares em imóveis e outras empresas.

EL Cord vendeu então seus interesses no setor de transporte e a Auburn Automobile Company entrou em falência em 1937.

O legado continua

A história do Cord não acabou por aí.

Em 1938 o prédio da administração da Auburn Automobile Company foi vendido a Dallas Winslow. A nova proprietária então fundou a Auburn-Cord-Duesenberg Compan.

história da Cord

A Dallas Company passou a vender novas peças de estoque antigas a proprietários de automóveis Auburn, Cord e Duesenberg, além de repará-las.

22 anos mais tarde, em 1960 a Dallas Winslow vendeu os direitos a Auburn, Cord e Duesenberg a Glenn Pray, de Broken Arrow, Oklahoma. Continuou a vender e reparar automóveis das antigas montadoras em Broken Arrow.

Muitos anos se passam, o prédio administrativo da Auburn Company passou por diversas mãos. Até finalmente, já no século XXI, foi reformado para a criação de um museu.

Museu Auburn, Cord e Deusenberg

A história da Cord, Auburn e Deusenberg é contada através do museu criado em tributo a tais marcas.

A antiga sede empresa em Auburn agora abriga o Museu do Automóvel de Auburn Cord Duesenberg e se tornou um marco histórico nacional em 2005.

Documentário sobre EL Cord

A história da Cord e de Erett Lobban Cord é contada nesse documentário produzido há alguns anos. Relata os primórdios da indústria automobilista em Indiana, até o império construído por Cord. Alguns carros renomados da empresa e seus proprietários, e também seu fim quase que repentino.

A paixão por carros antigos muitas vezes vai além do que imaginamos, nosso querido amigo Léo Forestieri escreveu o poema Amor & motor.

Tags: , , , , ,
Me chamo Luís Felipe Risso. Sou formado em administração pela PUC-SP e pós graduado na FGV.

Related Article

No Related Article

0 Comments

Leave a Comment